O oitavo capítulo, “A voz da confiabilidade – modelando caráter e competência”, do livro “O 8º Hábito” de Stephen Covey foca a questão da confiabilidade nos relacionamentos, sejam eles pessoais ou profissionais.

“Da mesma forma como a confiança é a chave de todos os relacionamentos, ela é também a cola que une as organizações.” Stephen Covey

Modelar - Ser Confiável - caráter e competência

Confiabilidade Pessoal

Segundo Covey a confiabilidade de uma pessoa deriva de sua competência e caráter.

Nossa competência é fruto de nossas habilidades técnicas para realizar determinadas tarefas, de nosso conhecimento conceitual que nos permite pensar estratégica e sistematicamente, e de nossa consciência da interdependência, que nos faz ver que tudo na vida está interconectado.

Já nosso caráter está diretamente ligado a integridade de nosso comportamento, a maturidade com que lidamos com questões difíceis, e a mentalidade de abundância que nos permite enxergar a vida não como uma competição, e sim se alegrar com o sucesso dos outros.

“De todas as falhas da liderança, 90% são de caráter.” Stephen Covey

A Confiabilidade Pessoal e os 7 Hábitos

É inegável a afirmação de Stephen Covey de que é impossível fazer qualquer tipo de progresso significativo nas relações com outras pessoas se nossa própria vida está tumultuada ou não formos confiáveis. Por isso precisamos nos aprimorar, nos transformar em uma pessoa equilibrada, integrada e forte. Foi para isso que Covey elaborou os tão famosos 7 Hábitos.

Abaixo você encontra um pequeno resumos destes 7 Hábitos, que para serem compreendidos perfeitamente precisam ser estudados no livro “Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, de Stephen Covey.

  1. Seja proativo
  2. Comece com o objetivo em mente
  3. Primeiro o mais importante
  4. Pense ganha-ganha
  5. Procure primeiro compreender para depois ser compreendido
  6. Crie sinergia
  7. Afine o instrumento

Os três primeiros hábitos, de forma sintetizada, podem ser interpretados como “faça e mantenha promessas“. Os 3 seguintes podem ser resumidos como “envolva as pessoas no problema e formule a solução em conjunto”. E o sétimo e último hábito se refere a aumentar nossa competência nas 4 áreas da vida: corpo, mente, coração e espírito.

Ferramenta para modelar: o sistema de planejamento pessoal

Se quisermos modelar, nossa primeira tarefa é nos preparamos – criar FOCO em nossas vidas. Para isso, nada melhor que um sistema de planejamento pessoal. Na Internet e em livros existem diversos, porém devemos estar atentos para que o que escolhermos atenda a três critérios básicos: deve estar integrado à nossa vida/estilo de vida, deve ser móvel, para estar sempre à mão, e deve ser personalizável, para adequar-se exatamente às nossas necessidades.

Com o sistema de planejamento pessoal implementados, devemos nos assegurar que estamos mantendo o foco, ou seja, que nossas tarefas estão alinhadas ao que é mais importante para nós. Uma forma de avaliar isso é apresentada por Covey como A Pirâmide da Produtividade, onde devemos:

  1. Identificar nossa Missão e Valores
  2. Identificar nossos papéis mais importantes para estabelecer objetivos alinhados com nossos valores.
  3. Planejamento semanal, que nos permite refletir sobre nossos papéis e escolher as prioridades.
  4. Planejamento diário, onde fazemos listas de tarefas realistas e conferimos os compromissos do dia.

Tendemos a planejar somente diariamente, o que nos faz gastarmos muito tempo apagando incêndios e gerenciando crises. A urgência passa a definir a importância, e isso se torna um vício do qual devemos fugir escolhendo as “Grandes Pedras” primeiro. Mas o que significa isso?

Se você encher a vasilha de sua vida com pedrinhas não sobrará espaço para as Grandes Pedras, ou seja, as mais importantes. Sempre devemos pensar nelas primeiro. Cada pessoa precisa identificar suas Pedras Grandes, como por exemplo, o cônjuge, os filhos, a saúde, exercícios físicos, férias, um grande cliente, etc.

 

Este artigo se trata de um pequeno resumo do capítulo 8 do livro “O 8º Hábito” de Stephen Covey. Saliento que a leitura do mesmo jamais substitui a leitura do original, que contém diversos exemplos e aprofunda conceitos fundamentais.

Não perca a análise do capítulo 9 no próximo post…


Marco Lang
Marco Lang

Empresário e Mentor de Alta Performance. Faixa preta em produtividade (sem blábláblá).

Leave a Reply

Your email address will not be published.